Quinta-feira, 11 de Junho de 2009

...

 

 

publicado por silvia às 17:19
link do post | comentar | favorito

Viagem a Lugar Nenhum

 

Desde então, em desvairada busca, procuramos o Caminho. É que nascemos para voltar, e nada mais. Somos trôpegos andarilhos na noite da vida que, debalde e cegos, lutam em guerra noturna em busca da Senda Perdida.

Mas, na aurora do nosso entendimento, há o registro secreto dos rumos esquecidos de tão sonhada volta. A rota para lugar nenhum, para aquilo que existe e não existe, para o Reino da Eterna Aurora que está impressa em regiões sombrias na personalidade de cada um. A grande ironia é que, sendo cegos, estamos e não estamos nesse refúgio dos Peregrinos.

Eu vos convido para uma viagem estranha pelos espaços interiores do Grande Além de Dentro, até os confins do Infinito. Eu convido todo aquele que saiba palmilhar seu próprio caminho e tenha olhos de ver, ouvidos de ouvir, para esta insólita aventura.

Vinde, alcemos vôo para o Grande Além de Dentro, rumo a lugar nenhum. Escalemos a Montanha Sagrada. Deixai vossas espadas e vossos alforjes, porque a busca de si mesmo não inclui o transitório, as incertezas desta vida. Lembrai-vos tão somente de que somos seres alados, eternos, que sempre vieram, sempre foram e sempre vão ao Grande Além de Dentro. Alcemos vôo para as longínquas regiões da Alma.

Eis cada uma agora em seu mundo particular. Estais imersos em intensa solidão, a solidão dos Buscadores, dos Peregrinos. A busca de si mesmo é única, singular e solitária.

Estamos voando por espaços infinitos. Agora vamos pousar em uma terra estranha. Vemos imensa região circular com enorme montanha no centro. Ela é vivente e escarpada, mas ganha as alturas do infinito.

É rodeada de escarpas desertas, de solo ressequido e vegetação agreste e seca. Insetos vorazes destroem plantas daninhas, flores debatem-se na ventania, pássaros perdidos cruzam, desesperados, os espaços poluídos.

Estas arrepiantes plagas são povoadas por chacais bravios, que campeiam, esfomeadas e velozes, presas esguias. Estamos em pleno deserto. É o deserto transitório do dia-a-dia, o fantástico mundo das ilusões sensoriais. Temos de atravessá-lo e alcançar o cimo da montanha, porque essa é a Montanha Sagrada da ascensão individual aos Planos mais sublimes.

Ah! Eis o nosso primeiro Guia. Vede que sagrada figura! É a voz que clama no deserto de nossa vida, a indicar-nos ternamente o Caminho. Veste-se de negro profundo, com a branca estola de linho ornada de símbolos sagrados.

Escutai-o! Ele é o arauto da Terra Santa. Escutai-o porque ele é vossa própria Voz Interior clamando em vosso próprio deserto! Na verdade, sois como ele e ele como vós.

Ouvi, ó Peregrinos, os silentes apelos da Alma e caminhemos por entre as pedras e os espinhos destas plagas ressequidas, pois vossa Alma sonhadora acalenta doce esperança.

Já é noite… Atrás ficou o imenso deserto. Subimos muito. Ganhamos um terço da Montanha Sagrada. Mas, olhai para cima. Vede como a Montanha Sagrada da Ascensão individual ganha as alturas do Infinito!

Que estranha metamorfose em nossa túnica! Tornaram-se vestes resplandecentes de luz. É que agora alcançamos a região sombria de perigosos abismos e tempestades bravias. “Vigiai e orai para não cairdes em tentação”, disse o Grande Mestre.

Vede que florestas gigantescas, que imensuráveis rios! Animais belos e horrendos povoam estas regiões primitivas dos espaços interiores. Quão intensas e fantásticas são estas flores! Esta é a região onírica dominada pelos opostos.

Ouvi como cantam anjos nas Alturas e murmuram demônios nos abismos… Não temais, que somos venturosos andarilhos rumo ao Infinito, senhores da Palavra Perdida.

E, além de tudo, “O Senhor é nosso pastor. Nada nos faltará. Ele nos conduz aos campos verdejantes, às águas tranqüilas. Ainda que andemos pelo Vale das Sombras da Morte, não temeremos mal algum, pois seu cajado e suas Hostes nos protegerão”.

Prossigamos, que vossa Alma sonhadora está repleta de esperanças. Vamos, já há prenúncios de Aurora. A Noite Negra da Alma já cede lugar ao tênue amanhecer. Aqui, a última parada antes do final do caminho. Este é o último Portal para lugar nenhum, para a doce Paz do Deus Superior, a Terra Prometida. Despojai-vos aqui das últimas lembranças dos sofrimentos vividos. Despojai-vos aqui das ilusões do transitório, das incertezas do dia-a-dia, das angústias do que já se foi, das ansiedades do que ainda não é, pois neste momento solene atravessamos as fronteiras do Tempo e os limites do Espaço, ganhando a consciência do Eterno Presente e a percepção do Infinito.

Um ar de infinito e sagrado Mistério envolve todo o nosso ser. Olhai vossas vestes! Elas são de cores ainda mais luminosas, de matizes desconhecidos que os olhos humanos jamais poderão contemplar. No vosso peito resplandece ofuscante Rosa Vermelha lindamente desabrochada.

Prossigamos, que o Reencontro está próximo. Ouvi sublimes melodias, cheias de Amor Profundo, que as Hostes Celestiais entoam à distância… Elas falam das Grandes Bodas, do misterioso Casamento Alquímico. É o Cântico dos Alados que retornam à Terra Perdida do Grande Além de dentro. É o Cântico dos eternos Noivos da Alma Universal.

Estamos agora no cimo da Montanha. Que esplendorosa ao mar! Pode-se ouvir o Amor solto no vento, murmurando de flor em flor nestes intermináveis Jardins do Infinito. É um sonho de meridiana luz!

Olhai, ó incansáveis Peregrinos, a recompensa dos Buscadores. Eis a Morada da Luz, eis a imensa Catedral da Alma, o Palácio de Cristal, a Sétima Morada. Eis o Sanctum Sanctorum de cada um.

Este é Sanctum Sanctorum, o Santuário dos Santuários, ó venturosos Peregrinos. É a vossa verdadeira Morada, a Morada Secreta do Mestre Interior.

As portas agora se abrem com vossa chegada, pois o Mestre já aguarda há milênios, com hora marcada. Entrai, subi a Escada Mística dos Sete Degraus. As imensas portas de ouro se abrem de par em par e a sublime Luz do Mestre inunda a imensa nave do Templo Sagrado

Vede! São os Noivos da Grande Alma Universal e eles encontraram, enfim, a sua Amada. Entrai. Ide vivenciar vosso próprio Casamento Alquímico… Ficai agora com vós mesmos e ouvi o retumbar imenso na profundeza de vossa Alma – o Cântico da Redenção.

Agora que vossa Alma encontrou a Paz Profunda, que levará por toda a vida, despedi-vos do vosso Mestre. Deixai o Templo Sagrado, onde podereis voltar a qualquer dia pelo caminho solitário de cada um. Voltemos todos ao lugar de onde viemos, mas agora com as dores apagadas, o coração repleto de Amor, a Alma plena de Paz Profunda. Voltemos com todo o nosso Ser na mais perfeita harmonia.

publicado por silvia às 17:16
link do post | comentar | favorito
Domingo, 8 de Março de 2009

Comunicação

O Evangelho é regra de conduta

Com o conhecimento e aceitação da fé raciocinada, fica mais fácil o controle das nossas ações.

Ficamos cientes que elas geram reações iguais e contrárias. Se a ação for boa, a reação também o

será. Se for má, porém, as conseqüências não podem ser agradáveis. É tão óbvia a conclusão que

não há quem não entenda.

Ao partir desta premissa, compreendemos com mais clareza o Evangelho de Jesus e a sua proposta

de amor ao próximo.

Independente de quem seja ele, é alguém que luta com as mesmas dificuldades que nós e é nosso

parceiro nesta dura caminhada. Todos os seres viventes nos influenciam e são influenciados pelo

nosso comportamento. Em O Livro dos Espíritos, questão 825, quando indagado aos Espíritos se

“há no mundo posições em que o homem pode gabar-se de gozar de uma liberdade absoluta”, foi

respondido que “não, porque todos têm necessidade uns dos outros, tanto os pequenos como os

grandes”.

Para exemplificar, podemos analisar alguns contatos triviais que somos obrigados a manter com o

nosso próximo, o que nos faz dele dependentes.

Ele produz o transporte que nos leva ao trabalho; planta o alimento que comemos; cuida das nossas

enfermidades e produz os remédios que nos curam; oferece o lazer para que possamos suavizar

nosso fardo, evitando o estresse e a depressão; recolhe as sobras da nossa casa para manter a

cidade limpa e livrá-la das epidemias; mantém as redes de água, esgoto, luz, telefone e tantos

outros serviços sem os quais é difícil viver; são os professores dos nossos filhos ajudando-nos a

formá-los e educá-los; fabricam as roupas que vestimos; enfeitam-nos; escutam as nossas queixas

e nos orientam. São apenas algumas situações corriqueiras.

Ninguém vive só. Pelo gregarismo do homem, ele precisa do convívio com o semelhante. Ainda que

seja só para dialogar ou trocar idéias. É difícil viver na solidão!

Necessitam do próximo, tanto o mendigo quanto o presidente. O rei e o súdito. O alegre e o triste. O

cristão e o ateu. O rico e o pobre. O erudito e o ignorante.

É preciso que tenhamos respeito pelo próximo. Jamais humilhá-lo e nunca ter preconceito social,

religioso, racial ou ante as deficiências físicas. Um aleijado lúcido terá para oferecer-nos mais

inteligentes e úteis orientações que um atleta sadio que apenas pense no corpo. Este também

precisa do aleijado para esclarecer-se ante as sutilezas da vida e aprender a resignar-se diante de

http://www.panoramaespirita.com.br 10/03/2008 21:21:20 / Page 1

eventuais limitações. O físico inglês Stephen Hawking é um expressivo exemplo.

Quando corretamente analisado, constatamos que o Evangelho de Jesus é um manancial de

informações indispensáveis para o bem viver. Não é um texto místico, mas um código de vida. É

para ser aplicado no dia-a-dia e tê-lo como suporte de sobrevivência. Uma bóia de salvação contra

os afogamentos sociais.

Quem mais lucra no convívio com o próximo somos sempre nós mesmos. Qualquer que seja a

atitude do outro ele é um livro que lemos e aprendemos com ele. Aprender o que e como fazer e,

também, o que e como não fazer.

O próximo é o instrumento para o exercício da nossa caridade. Quem é médico, não vive sem o

paciente; quem é humorista, não vive sem a platéia; quem é esportista, não vive sem o público;

quem é vendedor, não vive sem o cliente; quem escreve precisa do leitor. Em certas situações

servimos, em outras, somos servidos.

Devemos amar o próximo não apenas porque isso representa um gesto de fraternidade. Devemos

amar o próximo porque não existe alternativa. Estamos irremediavelmente ligados aos outros nas

vinte e quatro horas do dia. Tudo o que usamos foi feito por alguém. E quando somos nós o

fabricante, dependemos de outros que usem o que produzimos.

Essa é a razão por que Deus ao criar a Terra colocou em cada país, em cada raça, em cada povo,

um tipo de riqueza diferente. Riqueza material e capacidade intelectual. Sempre respeitada a sua

condição espiritual e a situação evolutiva em que se encontra cada um. Parece que o planeta

nasceu de uma explosão aleatória. Fácil perceber, porém, que tudo foi comandado!

Há países riquíssimos em petróleo que não têm uma gota de água potável em seu território.

Precisam comprar fora, e para tanto usam os lucros obtidos com a venda do seu mineral. Pelo fato

de cada país ter sua própria riqueza é que nasce o intercâmbio para a troca de bens.

Em certas ocasiões vemos ditadores de nações, e atualmente os temos em quantidade, que de

maneira arrogante impõem sanções e condições violentas para defender sua riqueza. Perda de

tempo. Todas dependem das trocas porque não há um só produto que sirva para tudo, por mais

nobre e precioso que seja. Ninguém come ouro ou bebe gasolina, por mais valor que eles tenham e

por mais caro que custem.

Lembremos de antigo pensamento que nos serve de alerta: Quando moço, o homem gasta toda a

sua saúde para ter um pouco de dinheiro; quando velho, gasta todo o seu dinheiro para ter um

pouco de saúde. Irônico, não?

Apesar de serem necessárias dezenas, centenas ou milhares de moedas para a compra de apenas

uma unidade de outro dinheiro, isso em nada altera a interdependência dos homens. O país mais

rico do mundo, os Estados Unidos da América do Norte, precisa dos compradores que vivem nas

miseráveis América Central e do Sul, além do grande México, da mesma América do Norte. O

grande supermercado norte-americano não pode dispensar uma clientela de aproximadamente 600

milhões de pessoas, por mais bárbaros que eles nos considerem. Cada americano depende de um

subdesenvolvido para viver.

Ame o próximo. Ajude-o a viver, se você quiser viver também. Facilite para que ele tenha comida e

http://www.panoramaespirita.com.br 10/03/2008 21:21:20 / Page 2

não precise agredi-lo para conseguir. A violência do mundo tem raízes nas diferenças espirituais,

mas, também, nas desigualdades sociais. E os que oprimem e são prepotentes porque são ricos,

acabam por serem as maiores vítimas da violência. A proposta de Jesus não é um mero conselho,

mas uma advertência que nos dá conta de que não temos saída. Ou seremos todos relativamente

felizes ou os que são infelizes não deixarão viver os mais afortunados. O esquema é perfeito para

que aprendamos, queiramos ou não. É o determinismo a impulsionar-nos para o alto.

Não é mais o tempo de usar o Evangelho só nas reuniões dos templos ou nos cultos dos lares. É

tempo de viver o dia-a-dia com o Evangelho na alma. Ele deve nos servir de roteiro e ser usado

como regra de conduta. Quem acreditar nesta verdade, sofrerá menos.

Revista Internacional de Espiritismo. Junho 2007

http://www.panoramaespirita.com.br 10/03/2008 21:21:20 / Page 3

publicado por silvia às 14:01
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2009

Limpando a mente

1. Pisque os olhos, seis vezes, a cada imagem ou bata gentilmente suas mãos sobre suas pernas enquanto assiste as imagens.
2. Visualize estas imagens quantas vezes quiser por dia. Quanto mais, melhor.
3. Num momento de aflição ou quando uma imagem forte e destrutiva atingir você durante o dia (uma notícia de TV, um acontecimento que impactou), imagine que a imagem negativa está sendo retirada da sua mente pelo lado esquerdo e puxe pelo lado direito uma das imagens que assistiu na tela.
4. Faça conexões entre as imagens e seus sentimentos e/ou desejos pessoais. Por exemplo: ao visualizar uma rosa imagine-se colocando esta rosa no coração de quem você ama muito... ou de quem precisa pedir perdão ou mesmo perdoar.
5 Se possível utilize este recurso antes de dormir. Propositalmente como se fosse este seu último gesto do dia.
6 Não se esqueça que usar o fone de ouvido. Isso torna o resultado ainda mais efetivo.

 

 

publicado por silvia às 15:01
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 20 de Fevereiro de 2009

Um copo de leite

Um Copo de Leite
 
Um dia, um rapaz pobre que vendia mercadorias de porta em porta para pagar seus estudos, viu que só lhe restava uma simples moeda de dez centavos e tinha fome.

Decidiu que pediria comida na próxima casa. Porém, seus nervos o traíram quando uma encantadora mulher jovem lhe abriu a porta.

Em vez de comida pediu um copo de água. Ela pensou que o jovem parecia faminto e assim lhe deu um grande copo de leite.

Ele bebeu devagar e depois lhe perguntou?

- Quanto lhe devo?

- Não me deves nada - respondeu ela.

- Minha mãe sempre nos ensinou a nunca aceitar pagamento por uma oferta caridosa.

Ele disse:

- Pois te agradeço de todo coração. Quando Howard Kelly saiu daquela casa, não só se sentiu mais forte fisicamente, mas também sua fé em Deus e nos homens ficou mais forte.

Ele já estava resignado a se render e deixar tudo.
Anos depois essa jovem mulher ficou gravemente doente.

Os médicos locais estavam confusos. Finalmente a enviaram a cidade grande, onde chamaram um especialista para estudar sua rara enfermidade.

Chamaram ao Dr. Howard Kelly para examina-lá, quando escutou o nome do povoado donde ela viera, uma estranha luz encheu seus olhos.

Imediatamente subiu do vestíbulo do hospital a seu quarto.

Vestido com a sua bata de doutor foi ver a paciente.

A reconheceu imediatamente. Retornou ao quarto de observação determinado a fazer o melhor para salvar aquela vida.

À partir daquele dia dedicou atenção especial aquela paciente.

Depois de uma demorada luta pela vida da enferma, ganhou a batalha.

O Dr. Kelly pediu a administração do hospital que lhe enviasse a fatura total dos gastos para aprova-lá. Ele a conferiu e depois escreveu algo e mandou entrega-lá no quarto da paciente.

Ela tinha medo de abri-la, porque sabia que levaria o resto da sua vida para pagar todos os gastos. Mas finalmente abriu a fatura e algo lhe chamou a atenção, pois estava escrito o seguinte:

"Pago totalmente faz muitos anos com um copo de leite assinado)Dr. Howard Kelly".

Lágrimas de alegria correram de seus olhos e seu coração feliz rezou assim:

Graças meu Deus por que teu amor se manifestou nas mãos e nos corações humanos.

"A CADA UM , SEGUNDO AS SUAS OBRAS"

"TUDO O QUE VOCÊ DÁ PARA MUNDO, O MUNDO TE DEVOLVE"

“É A MAIS PURA VERDADE....O essencial faz a vida valer a pena! Basta o essencial!”
 
publicado por silvia às 13:16
link do post | comentar | favorito
Domingo, 1 de Fevereiro de 2009

A morte

Em relação á morte ela não é senão suicídio. Nós, seres humanos, pela nossa consciência potencialmente livre e pela nossa livre capacidade potencial de nos mudarmos a nós mesmos, escolhemos o nosso destino, estejamos ou não cientes disso.

- Morte biológica – desarmonia entre a nossa vida e o meio ambiente.

- Morte psicológica – a nossa mentalidade torna-se incapaz de vislumbrar a possível felicidade de vivermos como seres humanos. Perda de vontade de viver.

- Morte social – guerras

- Morte acidental – a nossa falta de previsão e sensibilidade, o nosso descuido e a nossa falta de discernimento claro.

- Morte ideológica – há pessoas que escolhem morrer com uma mente clara e estável.

- Morte natural – quando a energia cessa

- Morte espiritual – morte como um meio de evolução e avanço da condição humana para o mundo espiritual, nas pessoas espiritualmente desenvolvidas.

 

publicado por silvia às 01:37
link do post | comentar | favorito

As doenças humanas

  

“Somos gratos por todas as dificuldades, pela doença, penúria, confusão, por todas as agruras e pela guerra. É graças a elas que aprendemos a nossa própria ignorância, incapacidade e dependência. É graças a elas que nos fortalecemos e desenvolvemos a nossa liberdade. Todas as dificuldades são provocadas, não por factores externos, mas por nós próprios. Enfrentemos com prazer todas as dificuldades e convertamo-las em felicidade.”

 

Nós, seres humanos constituímos uma parte do meio ambiente e porque mudamos de acordo com a sua mudança, estamos por nascença em harmonia com qualquer circunstância e por isso não deveriam existir dificuldades, nomeadamente a luta pela sobrevivência e pela continuação da sua própria vida.

Porque razão sofremos de várias espécies de doença? Porque razão nos debatemos com inúmeras dificuldades?

Estas dificuldades surgem da nossa ignorância daquilo que realmente somos, do que é a vida e da ordem do universo. Podemos ter ganho o fruto da árvore do conhecimento, mas não ganhamos o fruto da árvore da vida. No que diz respeito aos problemas da vida somos todos ignorantes.

Será que na nossa busca incessante da felicidade, não teremos olhado na direcção errada? Todo o conhecimento e riquezas adquiridas, a nossa sociedade organizada, o nosso alto nível de instrução, os nossos métodos modernos…. E no entanto, todos nós estamos cheios de medo, ansiedade, inquietação, depressão e rodeados de doença e violência, cupidez e ódio, preconceitos e inseguranças.

 

Gostei do texto que li:

 

O imperador amarelo, dirigiu-se uma vez a Tien Shieh, o mestre divinal inspirado: “ouvi dizer que nos tempos antigos as pessoas viviam até terem mais de um século e mesmo assim permaneciam activas e não se tornavam decrépitas nas suas actividades. Hoje em dia, porém, as pessoas só vivem metade da sua idade e contudo tornam-se decrépitas e débeis. E porque o mundo muda de geração em geração? Ou será a espécie Humana se está a tornar negligente?

Ele respondeu: “ Nos tempos antigos, aquelas pessoas que compreendiam o Tão ( a via de auto cultivação/desenvolvimento) moldavam-se segundo o yin e o yan ( os dois princípios da natureza) e viviam em harmonia com as artes da divinação. Havia temperança no comer e no beber. As suas horas de levantar e recolher eram regulares e não desordenadas e bárbaras. Graças a isso, os antigos conservavam os seus corpos unidos ás suas almas, de modo a cumprirem o período de vida que lhes havia sido destinado, até cem anos antes de falecerem”.

(o clássico da medicina Interna do imperador Amarelo)

 

Então a nossa saúde deveria satisfazer as seguintes condições:

- Nunca sentirmos fadiga. Nunca deveríamos sentirmo-nos cansados da nossa vida no dia-a-dia. Deveríamos ser capazes de nos adaptar ás dificuldades que deparamos.

- Termos um bom apetite por tudo aquilo que encontramos. Apetite de comida, sexual, de actividade, de conhecimentos, de trabalho, de experiências, de saúde, liberdade e felicidade.

- Termos bom sono, dormir profundamente por pouco tempo.

- Termos boa memória, pois ela é a mãe do nosso discernimento.

- Nunca nos zangarmos, pois se vivermos em Harmonia com o nosso meio ambiente, não há razão para nos zangarmos. No oriente ira representa a mente de um escravo, ou então de doença grave do fígado.

- Sermos alegres e atentos

- Termos um apreço sem limites

 

Todas as doenças físicas mentais e espirituais têm origem na nossa vida quotidiana. Elas podem classificar-se em duas categorias: de ajustamento (surgem como sintomas agudos e desaparecem após termos restabelecido a harmonia da nossa relação com o ambiente) e de degeneração (aparecem sobre a forma de sofrimento crónico).

 

publicado por silvia às 01:36
link do post | comentar | favorito

Os principios do universo

Os princípios do universo

 

1 – Tudo é uno.

2 – Tudo muda.

3 – Todos os antagonismos são complementares.

4 – Não há nada idêntico.

5 – Tudo tem uma frente e um dorso

6 – Quanto maior for a frente maior é o dorso.

7 – Tudo o que tem um princípio tem um fim.

 

No Génesis, capitulo 1, podemos ler, “ no princípio Deus criou o céu e a terra”. Isto revela que a Infinidade Una se polarizou em duas forças complementares e antagónicas, yin e yang. O Génesis descreve depois as subsequentes manifestações ou transformações resultantes desta polarização, através dos estados de vibração (luz e escuridão), partículas pré atómicas (o firmamento, acima da terra), o mundo dos elementos (terra e água), o reino vegetal (relva e ervas que produzem sementes) e o reino animal (seres da água, da terra e do mar), chegando, finalmente, ao estado da humanidade representado por Adão e Eva, macho e fêmea. Todo este processo da criação levou 7 dias a completar-se, o que significa sete estádios de desenvolvimento do universo em mutação.

 

publicado por silvia às 01:34
link do post | comentar | favorito

A ordem do universo

Por toda a parte se ensina o amor, se discute a saúde, por toda a parte se busca a paz e se fala da graça e da salvação. E contudo, à nossa volta, longe e perto de nós, muito poucos são aqueles que procuram realmente conhecer a ordem do Universo e o princípio da eterna mutação. E é precisamente por esta razão que todos os ensinamentos de natureza religiosa e espiritual entraram em decadência, todas as culturas teóricas e estéticas têm declinado e todas as raças humanas e sociedades têm sido incapazes de escapar ás atribulações e misérias da doença, da pobreza, da cupidez e da violência.

Só quando nos conhecermos como manifestação da ordem do universo seremos capazes de realizar a saúde e o amor, a paz e a liberdade.

 

publicado por silvia às 01:34
link do post | comentar | favorito

.arquivos

. Junho 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009