Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2009

Limpando a mente

1. Pisque os olhos, seis vezes, a cada imagem ou bata gentilmente suas mãos sobre suas pernas enquanto assiste as imagens.
2. Visualize estas imagens quantas vezes quiser por dia. Quanto mais, melhor.
3. Num momento de aflição ou quando uma imagem forte e destrutiva atingir você durante o dia (uma notícia de TV, um acontecimento que impactou), imagine que a imagem negativa está sendo retirada da sua mente pelo lado esquerdo e puxe pelo lado direito uma das imagens que assistiu na tela.
4. Faça conexões entre as imagens e seus sentimentos e/ou desejos pessoais. Por exemplo: ao visualizar uma rosa imagine-se colocando esta rosa no coração de quem você ama muito... ou de quem precisa pedir perdão ou mesmo perdoar.
5 Se possível utilize este recurso antes de dormir. Propositalmente como se fosse este seu último gesto do dia.
6 Não se esqueça que usar o fone de ouvido. Isso torna o resultado ainda mais efetivo.

 

 

publicado por silvia às 15:01
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 20 de Fevereiro de 2009

Um copo de leite

Um Copo de Leite
 
Um dia, um rapaz pobre que vendia mercadorias de porta em porta para pagar seus estudos, viu que só lhe restava uma simples moeda de dez centavos e tinha fome.

Decidiu que pediria comida na próxima casa. Porém, seus nervos o traíram quando uma encantadora mulher jovem lhe abriu a porta.

Em vez de comida pediu um copo de água. Ela pensou que o jovem parecia faminto e assim lhe deu um grande copo de leite.

Ele bebeu devagar e depois lhe perguntou?

- Quanto lhe devo?

- Não me deves nada - respondeu ela.

- Minha mãe sempre nos ensinou a nunca aceitar pagamento por uma oferta caridosa.

Ele disse:

- Pois te agradeço de todo coração. Quando Howard Kelly saiu daquela casa, não só se sentiu mais forte fisicamente, mas também sua fé em Deus e nos homens ficou mais forte.

Ele já estava resignado a se render e deixar tudo.
Anos depois essa jovem mulher ficou gravemente doente.

Os médicos locais estavam confusos. Finalmente a enviaram a cidade grande, onde chamaram um especialista para estudar sua rara enfermidade.

Chamaram ao Dr. Howard Kelly para examina-lá, quando escutou o nome do povoado donde ela viera, uma estranha luz encheu seus olhos.

Imediatamente subiu do vestíbulo do hospital a seu quarto.

Vestido com a sua bata de doutor foi ver a paciente.

A reconheceu imediatamente. Retornou ao quarto de observação determinado a fazer o melhor para salvar aquela vida.

À partir daquele dia dedicou atenção especial aquela paciente.

Depois de uma demorada luta pela vida da enferma, ganhou a batalha.

O Dr. Kelly pediu a administração do hospital que lhe enviasse a fatura total dos gastos para aprova-lá. Ele a conferiu e depois escreveu algo e mandou entrega-lá no quarto da paciente.

Ela tinha medo de abri-la, porque sabia que levaria o resto da sua vida para pagar todos os gastos. Mas finalmente abriu a fatura e algo lhe chamou a atenção, pois estava escrito o seguinte:

"Pago totalmente faz muitos anos com um copo de leite assinado)Dr. Howard Kelly".

Lágrimas de alegria correram de seus olhos e seu coração feliz rezou assim:

Graças meu Deus por que teu amor se manifestou nas mãos e nos corações humanos.

"A CADA UM , SEGUNDO AS SUAS OBRAS"

"TUDO O QUE VOCÊ DÁ PARA MUNDO, O MUNDO TE DEVOLVE"

“É A MAIS PURA VERDADE....O essencial faz a vida valer a pena! Basta o essencial!”
 
publicado por silvia às 13:16
link do post | comentar | favorito
Domingo, 1 de Fevereiro de 2009

A morte

Em relação á morte ela não é senão suicídio. Nós, seres humanos, pela nossa consciência potencialmente livre e pela nossa livre capacidade potencial de nos mudarmos a nós mesmos, escolhemos o nosso destino, estejamos ou não cientes disso.

- Morte biológica – desarmonia entre a nossa vida e o meio ambiente.

- Morte psicológica – a nossa mentalidade torna-se incapaz de vislumbrar a possível felicidade de vivermos como seres humanos. Perda de vontade de viver.

- Morte social – guerras

- Morte acidental – a nossa falta de previsão e sensibilidade, o nosso descuido e a nossa falta de discernimento claro.

- Morte ideológica – há pessoas que escolhem morrer com uma mente clara e estável.

- Morte natural – quando a energia cessa

- Morte espiritual – morte como um meio de evolução e avanço da condição humana para o mundo espiritual, nas pessoas espiritualmente desenvolvidas.

 

publicado por silvia às 01:37
link do post | comentar | favorito

As doenças humanas

  

“Somos gratos por todas as dificuldades, pela doença, penúria, confusão, por todas as agruras e pela guerra. É graças a elas que aprendemos a nossa própria ignorância, incapacidade e dependência. É graças a elas que nos fortalecemos e desenvolvemos a nossa liberdade. Todas as dificuldades são provocadas, não por factores externos, mas por nós próprios. Enfrentemos com prazer todas as dificuldades e convertamo-las em felicidade.”

 

Nós, seres humanos constituímos uma parte do meio ambiente e porque mudamos de acordo com a sua mudança, estamos por nascença em harmonia com qualquer circunstância e por isso não deveriam existir dificuldades, nomeadamente a luta pela sobrevivência e pela continuação da sua própria vida.

Porque razão sofremos de várias espécies de doença? Porque razão nos debatemos com inúmeras dificuldades?

Estas dificuldades surgem da nossa ignorância daquilo que realmente somos, do que é a vida e da ordem do universo. Podemos ter ganho o fruto da árvore do conhecimento, mas não ganhamos o fruto da árvore da vida. No que diz respeito aos problemas da vida somos todos ignorantes.

Será que na nossa busca incessante da felicidade, não teremos olhado na direcção errada? Todo o conhecimento e riquezas adquiridas, a nossa sociedade organizada, o nosso alto nível de instrução, os nossos métodos modernos…. E no entanto, todos nós estamos cheios de medo, ansiedade, inquietação, depressão e rodeados de doença e violência, cupidez e ódio, preconceitos e inseguranças.

 

Gostei do texto que li:

 

O imperador amarelo, dirigiu-se uma vez a Tien Shieh, o mestre divinal inspirado: “ouvi dizer que nos tempos antigos as pessoas viviam até terem mais de um século e mesmo assim permaneciam activas e não se tornavam decrépitas nas suas actividades. Hoje em dia, porém, as pessoas só vivem metade da sua idade e contudo tornam-se decrépitas e débeis. E porque o mundo muda de geração em geração? Ou será a espécie Humana se está a tornar negligente?

Ele respondeu: “ Nos tempos antigos, aquelas pessoas que compreendiam o Tão ( a via de auto cultivação/desenvolvimento) moldavam-se segundo o yin e o yan ( os dois princípios da natureza) e viviam em harmonia com as artes da divinação. Havia temperança no comer e no beber. As suas horas de levantar e recolher eram regulares e não desordenadas e bárbaras. Graças a isso, os antigos conservavam os seus corpos unidos ás suas almas, de modo a cumprirem o período de vida que lhes havia sido destinado, até cem anos antes de falecerem”.

(o clássico da medicina Interna do imperador Amarelo)

 

Então a nossa saúde deveria satisfazer as seguintes condições:

- Nunca sentirmos fadiga. Nunca deveríamos sentirmo-nos cansados da nossa vida no dia-a-dia. Deveríamos ser capazes de nos adaptar ás dificuldades que deparamos.

- Termos um bom apetite por tudo aquilo que encontramos. Apetite de comida, sexual, de actividade, de conhecimentos, de trabalho, de experiências, de saúde, liberdade e felicidade.

- Termos bom sono, dormir profundamente por pouco tempo.

- Termos boa memória, pois ela é a mãe do nosso discernimento.

- Nunca nos zangarmos, pois se vivermos em Harmonia com o nosso meio ambiente, não há razão para nos zangarmos. No oriente ira representa a mente de um escravo, ou então de doença grave do fígado.

- Sermos alegres e atentos

- Termos um apreço sem limites

 

Todas as doenças físicas mentais e espirituais têm origem na nossa vida quotidiana. Elas podem classificar-se em duas categorias: de ajustamento (surgem como sintomas agudos e desaparecem após termos restabelecido a harmonia da nossa relação com o ambiente) e de degeneração (aparecem sobre a forma de sofrimento crónico).

 

publicado por silvia às 01:36
link do post | comentar | favorito

Os principios do universo

Os princípios do universo

 

1 – Tudo é uno.

2 – Tudo muda.

3 – Todos os antagonismos são complementares.

4 – Não há nada idêntico.

5 – Tudo tem uma frente e um dorso

6 – Quanto maior for a frente maior é o dorso.

7 – Tudo o que tem um princípio tem um fim.

 

No Génesis, capitulo 1, podemos ler, “ no princípio Deus criou o céu e a terra”. Isto revela que a Infinidade Una se polarizou em duas forças complementares e antagónicas, yin e yang. O Génesis descreve depois as subsequentes manifestações ou transformações resultantes desta polarização, através dos estados de vibração (luz e escuridão), partículas pré atómicas (o firmamento, acima da terra), o mundo dos elementos (terra e água), o reino vegetal (relva e ervas que produzem sementes) e o reino animal (seres da água, da terra e do mar), chegando, finalmente, ao estado da humanidade representado por Adão e Eva, macho e fêmea. Todo este processo da criação levou 7 dias a completar-se, o que significa sete estádios de desenvolvimento do universo em mutação.

 

publicado por silvia às 01:34
link do post | comentar | favorito

A ordem do universo

Por toda a parte se ensina o amor, se discute a saúde, por toda a parte se busca a paz e se fala da graça e da salvação. E contudo, à nossa volta, longe e perto de nós, muito poucos são aqueles que procuram realmente conhecer a ordem do Universo e o princípio da eterna mutação. E é precisamente por esta razão que todos os ensinamentos de natureza religiosa e espiritual entraram em decadência, todas as culturas teóricas e estéticas têm declinado e todas as raças humanas e sociedades têm sido incapazes de escapar ás atribulações e misérias da doença, da pobreza, da cupidez e da violência.

Só quando nos conhecermos como manifestação da ordem do universo seremos capazes de realizar a saúde e o amor, a paz e a liberdade.

 

publicado por silvia às 01:34
link do post | comentar | favorito

.arquivos

. Junho 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009